O maior erro cometido pelos estudantes


Imagino que como estudante você tenha uma quantidade enorme de matérias para estudar. Estou certo de que você se preocupa com isso, pois o tempo é o seu maior aliado no Projeto de Aprovação.

Resolver o conflito [ muita matéria ] vs [ pouco tempo ] é um desafio que só é vencido por alunos que elaboram e seguem um eficiente Plano de Estudo.

Sabe qual é o pior erro que um estudante pode cometer?

É o de olhar para uma pilha enorme de livros e apostilas e dizer:

“DEUS, POR ONDE EU COMEÇO?”

Acontece que Deus ficará em silêncio. Porque é você quem deve saber quais são as suas métricas de aprendizagem, não Ele!

É desanimador ver estudantes que não sabem sequer por onde começar.

Seus concorrentes, acredite, enfrentam o mesmo problema. Deixe-me compartilhar um segredinho de uma pesquisa feita nos últimos 10 anos:

Apenas 2% dos estudantes seguem um roteiro de estudo!

Você sabe o que isso significa? 98% dos seus concorrentes talvez estejam tão perdidos quanto você! Enxerga aqui uma oportunidade?

Num concurso com 100/2, isto é, 100 candidatos para 2 vagas, duas pessoas tem reais chances de aprovação, os outros 98… fazem parte da paisagem. Você poderia ser um desse dois iluminados, não é verdade?

Recentemente decidi regravar a [ Aula D 9.1 ] do curso de Estudo e Memorização. Ela é aula suprema, aquela que ensina Como Montar um Plano de Estudo. Agora nossos alunos tem um sistema de planejamento interligando todas as técnicas de aprendizagem, memorização e manutenção de memórias de longo prazo. É um sistema inédito no Brasil.

Conseguimos reduzir o tempo gasto nos estudos em torno de 20% e aumentamos o tempo de fixação de conteúdo na memória, em resumo, com o novo Plano de Estudo aumentamos em 20% as chances de aprovação (é um importante diferencial, concorda?).

Conforme você pode verificar nos depoimentos, um dos nossos clientes foi aprovado em 6º lugar no vestibular para medicina. A concorrência era de 166/1, ele passou em 6º lugar! Excepcional, não é?

Ele seguiu religiosamente o Plano de Estudos que indicamos e conseguiu deixar a concorrência comendo poeira. Garantiu a tão sonhada aprovação.

Se você também estiver interessado em atingir este nível de qualificação e economia de tempo nos estudos, eu o convido a ver os detalhes do nosso curso de Estudo e Memorização.

Acesse o site:
http://renatoalves.com.br/estudo-memorizacao

Assista ao vídeo, veja as diretrizes e aprenda a montar o seu plano de estudo personalizado.
Melhorando as suas habilidades, você melhorará os seus resultados.

Um forte abraço,

Renato Alves

Ps.: Aproveite os últimas dias dos bônus do curso Estudo e Memorização.
Bônus 1: Livro Não Pergunte se ele Estudou
Bônus 2: Kit de Emergência para Provas

Inscreva-se agora e torne-se um NERD nos estudos.
[ Ir para o site]


A receita para ser Aprovado

Na escola pública onde eu estudava, na época de ginásio, tinha um garoto chamado Japa. Oriental, tímido, baixinho e de cabelos “lambidos”, Japa era uma espécie de Ronaldo Fenômeno dos estudos, artilheiro das notas máximas e melhor aluno do colégio. Era consultor dos desesperados e última salvação dos pendurados na lista de recuperação.

Eu era um aluno mediano, não era inteligente como o Japa e nem estúpido como os broncossauros que habitavam o fundão da sala. eu ficava na média, ou seja, tirava nota pra passar de ano, mais nada!

Meu melhor amigo era o Japa e eu era o melhor amigo dele também. Uma força incomum nos unia: o fato de sofrermos bullying quase todos os dias. Eu por ser o único paulista num colégio lotado cariocas, e ele porquê era nerd.

Japa era excessivamente concentrado nos estudos. Não saia da sala nem para ir ao banheiro. Não frequentava o recreio, era avesso às atividades, não gostava de conversar. Certa vez, durante uma aula vaga, resolvi chamá-lo para matar aula. O futebol estava rolando no terreno baldio, que ficava na rua em que morávamos no Grajaú, subúrbio do Rio de Janeiro.

Como de costume, Japa estava sozinho na sala, devorando um livro de 600 páginas. Eu me aproximei, sentei na cadeira do lado, arrastei-a para perto dele que, sem tirar os olhos do livro, perguntou:

“O que foi?”
“Vamos lá fora jogar futebol?”
“Não estou afim.” Respondeu, sem tirar os olhos do livro.
“Esta todo mundo lá, vamos?”
“Não gosto!”

Seria difícil tirá-lo do foco. Resolvi provocar:

“Pô, Japa! Você não participa de nada, não gosta de nada…”
“Gosta de ver TV?”
“Não!”
“Ouvir música?”
“Não!”
“Passear?”
“Também não!”
“De namorar?”
“Gosto, mas ainda sou novo pra isso.”
“Então me diga pelo menos uma coisa que você gosta de fazer.”

Naquele momento ele parou a leitura, sorriu e olhou para mim. Sem dizer uma só palavra ele bateu três vezes no livro que estava sobre a mesa. Insisti:

“Desembucha, Japa, fala do que você gosta?”

“Eu gosto de estudar!”

Achei aquilo uma besteira. Fui embora revoltado, prometendo não chamar o Japa pra mais nada. No verão as aulas terminaram, fomos para colégios diferentes e nunca mais nos encontramos.

Há algumas semanas recebi um email de um dos meus leitores. Primeiro ele elogiou o meu livro e depois falou um pouco sobre sua vida. Explicou que era médico cardiologista de um renomado hospital de São Paulo, morava num condomínio de luxo com sua esposa e três filhos, era dono de uma empresa de seguros e dava aulas na universidade. Seus pacientes o conheciam como, Dr. Yamashita, para mim, o Japa!

Fiquei muito feliz em poder reencontrá-lo, mesmo que pela internet. Me senti muito orgulhoso em saber como ele estava bem. Como havia crescido como profissional, empresário e chefe de família aquele garoto tímido que adorava estudar. Trocamos vários emails e descobrimos muitas coisas em comum, muitas mudanças importantes e outras coisas que não mudaram nada…

Combinamos um encontro.
Eu sugeri uma data.
Ele se desculpou e respondeu que naquele dia não poderia.
Eu perguntei porque, já que se tratava de um monótono sábado.
Ele explicou que no sábado não poderia, porque era um dia especial na semana que ele reservava exclusivamente para estudar.

* * *

Se você quer saber, existe sim uma receita para o sucesso. Mas ela não admite atalhos. Pessoas de sucesso entendem que o verdadeiro prazer eles encontram no ato de estudar. Com a aprovação eles não se preocupam, porque sabem que ela é mera consequência.

Ame profundamente seus estudos e o seu pódio estará garantido.

Viva com foco e disciplina!

Renato Alves – Recordista de Memória.
Autor do livro “O Cérebro com Foco e Disciplina.”
www.renatoalves.com.br


2 Dicas para velocidade e memorização na leitura

Todo apaixonado por livros sonha em ler mais rápido, e não é para
menos: quanto mais rápido lê, mais conhecimento ele adquire.

Ler rápido não é mais um luxo, mas uma habilidade necessária nos
dia atuais, afinal, não paramos mais de receber informações e o
cérebro precisa estar preparado.

E o que fazer para conseguir mais velocidade na leitura?

Velocidade na leitura é resultado de habilidades mentais e treinamento
mecânico. Para ser mais exato, a leitura rápida é determinada pela capacidade
de concentração somada a habilidade visual. Isso mesmo: os olhos tem um
papel primordial na velocidade da leitura.

Entenda:

Não são os olhos “aparelhos” de captação de textos? Pois bem, se os olhos fazem
a parte pesada do processo de leitura, então eles devem ser capazes de trabalhar
rapidamente, concorda? Os modernos métodos de leitura dinâmica tem como
objetivo fazer com que você leia entre 300 e 600 palavras por minuto.

Você sabe o que significa isso?

Significa que com os olhos bem treinados um leitor é capaz de ler um livro de
200 páginas em aproximadamente 3 horas; de 2 a 3 livros por semana e dar
conta do volume de informações que precisa dominar para manter sua
empregabilidade.

Para ler mais rápido você precisa romper com o condicionamento da alfabetização
(leitura sílaba por sílaba) que aprendemos na escola (que faz com que a leitura seja
lenta) e receber um novo condicionamento com foco na velocidade e compreensão.

Pesquisamos durante muitos anos junto a pedagogos, professores e grandes
nomes da leitura dinâmica mundial quais eram as estratégias mais eficientes para
o treinamento visual. A ideia era organizar um treino que fosse ao mesmo tempo
simples e eficiente, gerando um aumento de 3 a 6x na velocidade da leitura.
Também não queríamos submeter nossos clientes a uma exagerada “fisioterapia
visual” para o treino dos olhos. Foi assim que nasceu o FastRead. Curso de Leitura
Dinâmica, Estudo e Memorização de Textos. (conheça os detalhes)

Outra questão importante é a memória, afinal, de que adianta ler e no final não
se lembrar de nada, não é verdade? Como recordista brasileiro de memória aprendi
que a memória tem um peso fundamental no processo de aprendizagem. Na leitura
a memória precisa acompanhar os olhos e o cérebro formando um conjunto de
habilidades para aquisição de conhecimento. Para manter a memória afiada você
precisa cuidar da saúde física e mental. Quando você está bem, sua memória fica bem!

O resultado do treinamento visual somado ao maior grau de foco e memorização
resulta numa super capacidade de aprender mais rápido e com qualidade. Minha
alegria tem sido ajudar as pessoas a conseguirem este objetivo. Veja o resultado no
depoimento de um de nossos alunos:

“… eu não gostava de ler porque lia muito devagar e pra piorar não me lembrava de
nada do pouco que tinha lido… / …com o treinamento visual eu consegui triplicar
minha velocidade de leitura… / …hoje minha nova habilidade me permite ler pelo menos
um livro por semana.” Guilherme Ruiz – Estudante de Direito

Eu vibro toda semana quando recebo depoimentos como este, porque eu e você sabemos
que a quantidade de informações que recebemos vai aumentar cada vez mais e nosso
cérebro precisa acompanhar esta tendência. A boa notícia é que felizmente as ferramentas
que precisamos estão dentro de nós. Falta apenas aprender a usar!

Um forte abraço,

Renato Alves – Recordista Brasileiro de Memória.
Autor do livro O Cérebro com Foco e Disciplina

PS:. Todas as estratégias de LEITURA DINÂMICA você encontra num só lugar.
O FastRead é um curso completo onde você vai aprender:

• Acelerar a leitura de 3 até 6x (e dar conta daquela pilha de livros)
• Manter o foco e atenção no texto (evitando pensamentos paralelos)
• Compreender o que foi lido (que permite organizar o raciocínio)
• Gravar o texto na memória (citar de memória os detalhes do texto)

Quer acelerar a velocidade da sua leitura e aprender a memorizar textos?

[ Clique Aqui e conheça o FastRead ]


Preguiça Mental (como superar este obstáculo e voltar a estudar)

Estamos vivendo um surto de preguiça mental.

Ler o artigo, estudar a apostila, até mesmo passar os olhos no cardápio do restaurante parece mais difícil do que carregar um caminhão de tijolos. A preguiça mental está impedindo muitas pessoas de realizar seus melhores planos e talvez isso esteja acontecendo com você!

Conversei com uma aluna que reclamava que precisava ler Machado de Assis para o estudo do vestibular. Perguntei: E como você pretende passar em Medicina? Lendo gibis da Mônica? O professor ao sugerir o autor queria o melhor, ela, tomada pela preguiça mental, desejava o mais fácil…

A preguiça mental nos leva para a colheita do sofrimento.

Você se lembra da história da formiga e da cigarra? Enquanto a formiga trabalhava e acumulava alimento para o inverno, a cigarra ficava sentada numa sombra, rindo e tocando gaita. Um dia o frio inverno chegou e fez a seleção natural…

Você não pode deixar a preguiça mental tomar conta do seu espírito, sabe por que? Porque formigas ainda existem!

As formigas a que me refiro, são estudantes que neste exato momento estão debruçados em pilhas de livros rachando de estudar; são as pessoas que ao invés de ficar com um fone enfiado no ouvido babando para Ivete Sangalo ou Luan Santana, estão ouvindo as últimas novidades sobre editais dos concursos. Formigas não vão pra balada, vão para o simulado, não leem Contigo, leem atualidades de concurso, não arrumam desculpas, buscam solução.

Se você é estudante, então deve ter um Projeto de Aprovação, não é? Então entenda: ninguém vai estudar por você, ninguém vai fazer as provas por você! Estudo é uma jornada solitária. O seu sucesso é você quem faz!

Lute contra a preguiça mental porque estará lutando por seu futuro. O mundo está cheio de oportunidades, então pare de olhar a paisagem e agarre logo a sua chance.

Deixo aqui 5 dicas para afastar a preguiça mental da sua vida:

1 – Chame para si a responsabilidade! Tenha em mente que, se só ganha na loteria quem joga, só passa no vestibular ou concurso quem racha de estudar. Comprometa-se com o seu futuro e faça o que precisa ser feito. Sem reclamar!

2 – Motive-se. Um dos meus alunos passou no concurso para magistratura. Perguntei o que mais o motivava enquanto estudante. Ele me disse que era ver seu cunhado, promotor de justiça, ganhar 30 mil por mês, tirar férias de 60 dias por ano e licença prêmio de seis meses a cada 5 anos. Esses números o motivavam a seguir firme nos estudos.
Qual é a sua meta?
Escreva na parede, cole no espelho do banheiro e alimente-se dela todos os dias.

3 – Comemore as vitórias. Hoje você estudou até virar os olhos? Então merece um bom banho, uma meia hora de descanso para depois voltar e estudar mais um pouco. De verdade: quem vence no concurso não é aquele que faz corpo mole, é o que aprende mais rápido, detém mais conhecimento, sabe exatamente o que fazer na hora da prova. Se você está no pelotão do meio ou no final da corrida, então não perca nenhum minuto. Acelere e deixe o descanso para quando estiver colhendo os frutos das jornadas intermináveis de estudo.

4 – Não tenha medo de editais e quantidade de matérias, pois eles fazem parte do circo dos concursos. Você tem que saborear a matéria como um sorvete de morango numa tarde quente de domingo. Escreva na parede: NÃO EXISTE SUCESSO SEM ESFORÇO!!! Faça um plano de estudo bem elaborado e confiável e siga-o todos dos dias, rigorosamente.

5 – Dez, vinte, trinta mil por mês… Você quer um salarião, não quer? Então não ache que vai passar no concurso lendo aquelas apostilas xerocadas e super resumidas, ou pescando aqueles vídeos gravados por professores esquisitos no Youtube. Se você é aquela pessoa que só investe em roupas, sapatos, celulares, perfumes e acha um curso de quinhentos reais é caro, então está na hora de refletir: será que a aprovação não acontece porque já passou da hora de investir em conhecimento também? Uma boa estratégia de estudo faz você ganhar tempo, economizar energia e aumentar suas chances de aprovação. Clique aqui e veja uma sugestão.

6 – Aprenda a amar aquilo que faz. Quando você gosta de estudar você transforma as horas de dedicação em horas de diversão. Evidentemente, para você gostar de estudar você precisa saber estudar, caso contrário não produz, desiste e consequentemente se deixa levar pelo desanimo e pela preguiça mental. Fica a pergunta para não dormir a noite: Afinal de contas, você sabe ou não sabe estudar? Se a resposta for não, corra e resolva logo isso!

Sucesso Sempre
Renato Alves.

Aprenda a estudar com rapidez e foco.
Aumente suas chances de aprovação. Clique Aqui


Não basta leitura… ( Você sabe estudar textos técnicos? )

Ler, Reler, Anotar, Ler de novo…

Esta é a rotina da maioria dos estudantes com quem me correspondo.
Uma rotina que deixa a impressão que estudar é um processo de leitura e releitura de textos intermináveis… Entretanto, estudar não é bem assim.

Sabe aquele texto que você lê três, quatro, cinco vezes e não entende nada?

Pois bem, saiba que este texto está conversando com você. E você sabe o que ele está lhe dizendo? Que você pode ler outras 500 vezes que continuará não entendendo nada! Sabe por que? Porque esse tipo de texto você não lê, e sim, estuda.

Deixe-me dizer uma coisa:

Alguns textos você aprende com uma simples leitura, outros exigem estratégias avançadas de aprendizagem, e é esta diferença que muitos estudantes que me procuram não entendem. O sucesso no concurso público esbarra obrigatoriamente num paredão chamado, texto técnico. Textos jurídicos se parecem com uma colcha de retalhos, onde as idéias parecem não fazer o menor sentido. E a linha que você acabou de ler, em segundos desaparece da memória. Não que falte memória, o que falta é conhecimento sobre o funcionamento da memória nos estudos.

Textos técnicos são mesmo um grande desafio, e é por causa deles que a maioria dos seus concorrentes, para sua sorte, abandonam no meio do caminho o projeto de aprovação.

Querer passar num concurso sem saber estudar e memorizar textos técnicos é como querer vencer uma corrida de Fórmula 1 andando de bicicleta. A pessoa não tem a menor chance. E você pode apostar nisso: estudantes que não sabem estudar não tem a menor chance no agressivo mundo dos vestibulares e concursos. Por outro lado, o cenário muda quando realmente sabemos estudar.

Esta semana recebi o depoimento de um orgulhoso pai falando a respeito da aprovação do filho que foi aluno no Curso de Estudo e Memorização. Leia:

“Professor Renato. Está tudo bem? Já há um bom tempo não nos comunicamos. Vou compartilhar uma vitória alcançada; o meu filho mais velho: Pedro Luís (20 anos), passou em 6º lugar no vestibular de medicina da Unoeste (P. Prudente). Ele concorreu com mais de 2.000 candidatos. Já iniciou o curso na última segunda. O Pedro tem uma boa memorização, ele assimila bem. No vestibular, primeira etapa: de 70 questões ele acertou 55 (classificou-se em 12º), na segunda etapa: redação valendo 25 pontos, ele alcançou 23 pontos e na dissertativa de 5 pontos, ele consegui 3,9 pontos. Os 5 primeiros colocados foram mulheres, ele foi cavalheiro, deixou elas tomarem a frente. (Risos) – Luis Amaral – Presidente Prudente, SP”

Você tem um Projeto de Aprovação e sabe que uma boa colocação depende de organização, estratégia de estudo e disciplina. O Curso de Estudo e Memorização comprovadamente aumenta 20% suas chances de aprovação, porque corrige as principais deficiências do estudo. Quer um conselho? Não estude mais nada sem antes ter certeza de que você possui um bom método de estudo e memorização. Eu vou lhe ajudar nisso! Assim, você quebra o padrão inútil de leitura e mais leitura, que serve apenas para tomar seu tempo, gastar sua energia e deixar um eco de frustração em sua cabeça.

Se desejar conhecer um pouco mais do meu trabalho e aumentar 20% suas chances diante da concorrência, acesse o Curso de Estudo e memorização o qual deixo um link aqui para você:

http://renatoalves.com.br/estudo-memorizacao

Avance com força, conservando a paz,
Renato Alves – Recordista Brasileiro de Memória
Autor do livro: Faça seu Cérebro Trabalhar para Você

3 Comentários mais...

Você segue um plano de estudo?

Em 16 anos de estrada pesquisei e descobri que 2% dos estudantes no Brasil seguem um roteiro de estudo. É muito pouco. A maioria por não saber como fazer ou imaginar que exista isso, outros simplesmente por preguiça mental e falta de disciplina. 2% sabem o que estão fazendo quando abrem um livro para estudar, os outros 98% vivem a angústia de sequer saber por onde começar os estudos. Ao mesmo tempo que o estudo é sofrível para a maioria das pessoas, vemos que no Brasil existe um oceano de oportunidades para aqueles que sabem exatamente como estudar.

Você segue um plano de estudo?
Como você distribui as matérias?

Deixe seu comentário abaixo.

Renato Alves
Quer uma ajuda nos estudos?
Acesse: www.renatoalves.com.br

Sem Comentários mais...

5 Dicas para melhorar a memória

Eu gosto das histórias que começam com “Era uma vez…”

A história que vou contar é especial porque tem relação com a forma como eu entrei para o mundo da memorização até obter o primeiro título brasileiro de memória.

Assim como uma boa história, também não esquecemos uma boa dica e por isso quero aproveitar esse “causo” e também deixar para você 5 dicas bem legais para melhorar a sua memória.

Então vamos lá…

Era uma vez um rapaz chamado Ed Cooke. Ele morava na Inglaterra, para ser mais exato, ele morava há alguns meses num hospital da Inglaterra. Fora internado devido a um problema que o impedia de andar. Na flor da idade, tinha apenas 18 anos, não tinha celular, whatsapp, facebook e para espantar o tédio de uma vida no hospital ele resolveu dar uma chance a um presente que ganhara de alguém: um livro de memorização. Ele leu o livro inteiro, aplicou as técnicas, aprimorou outras e assim como aconteceu comigo, ele se apaixonou pelo tema. Cinco anos depois, Cooke era um Grande Mestre de Memória. Ele foi capaz de guardar uma sequência de mil dígitos aleatórios em menos de uma hora, a ordem precisa de 56 cartas de 10 baralhos na hora seguinte, e de decorar livros de 700 páginas. Ele conseguiu, eu consegui e tenho certeza que você também tem essa capacidade, afinal os cérebros dos grandes mnemonistas é igual ao seu.
A diferença é que Cooke e os outros participantes de campeonatos de memória treinam constantemente para aprimorar sua capacidade. Partindo de princípios simples é possível lembrar quantidades extraordinárias de informação.

O sujeito começa decorando a lista de compras e termina sabendo localização e preço de todos os produtos do supermercado. Sem falar, claro, nas vantagens bem palpáveis de lembrar de coisas simples, como saber onde deixou as chaves, a extremamente complexas como o conteúdo daquela prova de vestibular ou concurso. Não existe memória
ruim, e sim memória não treinada.

Seguem 5 super dicas para te ajudar a memorizar o conteúdo das disciplinas e ter foco no estudo e na vida:

Dica 1: Você sabia que esquece metade do que aprendeu só na primeira hora após aprender? Isso se chama a “curva do esquecimento”. Para prevenir sugiro o estudo parcelado. Pegue o tempo que você tem até a prova e divida o conteúdo em 10 partes, dando o mesmo intervalo entre as 10 sessões de estudo. Assim, você só aciona o cérebro quando ele está pronto para reter novas informações.

Dica 2: Lembre enquanto aprende. Essa regra já foi comprovada por vários estudos de Universidades americanas. O recomendado é que feche o livro a cada duas páginas lidas e tente recordá-las. No curso avançado de estudo chamo esta técnica de “confirmação” de conteúdo.

Dica 3: Tire um cochilo após a almoço. É, isso mesmo que você acabou de ler, estudos comprovam que cochilar á tarde ajuda a melhorar a memória. Quem diria, né?
Ok, difícil é encontrar alguém com este privilégio, mas se tiver oportunidade, faça isso!

Dica 4: Mude a fonte do computador. Memorizamos melhor a informação que lemos em fontes que não estamos acostumados ou são difíceis de ler. A explicação é que a dificuldade de processamento de letras não familiares teria como efeito colateral facilitar o armazenamento daquela informação. Uma sugestão? Mude o texto para fonte “Comic Sans”.

Dica 5: Pule etapas. Você não precisa ficar quebrando a cabeça para aprender as melhores estratégias de memorização. Você pode pular etapas focando naquilo que está dando certo. Como? Invista num bom curso de memorização. Um curso que trate o tema com o respeito e responsabilidade que ele merece. Se você tem vontade de entrar para o Clube das pessoas que usam a memória com inteligência, basta acessar o meu site. Lá você encontra todas as informações que necessita. www.renatoalves.com.br

Sua memória é o cofre mais seguro que existe. Confie!

Abraços.

Renato Alves – Recordista Brasileiro de Memória
Autor do livro: O Cérebro com Foco e Disciplina


Aprenda a se Concentrar (7 dicas para você manter o foco)

Ele tinha mais de dois empregos, passava o dia se deslocando de um lugar para outro, conversava com pessoas, resolvia problemas, passava mensagens rápidas e curtas, sofria para conseguir terminar de ler um livro inteiro, dormia pouco e tinha dificuldade para administrar um casamento conturbado.

Conhece alguém assim?

O personagem do cenário acima é ninguém menos do que, Thomas Edison, sim, ele mesmo, o inventor da lâmpada elétrica e de outras centenas de invenções. Edison viveu na década de 1870 e o aparelho pelo qual mandava as mensagens era o telégrafo. Como você pode ver, a falta de concentração não é exclusividade da vida contemporânea.

Vivemos hoje num ambiente muito mais estimulante do que o da época de Edison e uma criança de 5 anos com um tablet nas mãos recebe muito mais informação do que um europeu daquela época poderia sonhar. Redes sociais, games, músicas, amigos, encontros e mil e uma atividades ocupam o tempo e sequestram a nossa atenção. Quando Edison percebeu que seu problema era falta de concentração isolou-se, direcionou o foco e conseguiu com isso patentear mais de 2 mil invenções.

Estamos chegando no final do ano e talvez você esteja traçando suas metas. O problema é que META SEM DISCIPLINA equivale a DISCIPLINA SEM META ou seja, um não funciona sem o outro. Quando não temos foco atiramos para todos os lados e obviamente não acertamos nada. Quando iniciei minha carreira de palestrante eu atirava para todos os lados, tentava dar aulas de tudo quanto é tema achando que isso era alta performance e sabe quanto eu lucrei com isto? NADA!

Lendo a biografia de Edison aprendi que se quisesse ser o melhor teria que me concentrar num tema só, naquele que eu fosse mais apaixonado e tivesse maior aptidão. Foi então que resolvi focar na memória. Estudei, pesquisei, desenvolvi métodos, provei teorias, abri novos campos, me tornei o primeiro recordista brasileiro de memória e hoje sou dono do mais requisitado curso de memorização do país.

Quando concentramos energia num único ponto damos um salto de qualidade e ampliamos nosso poder de realização. E é isso que eu desejo para você:

QUE VOCÊ DÊ UM SALTO DE QUALIDADE E AMPLIE SEU PODER DE REALIZAÇÃO e a melhor maneira de fazer isso é estudando. Por isso quero deixar aqui algumas dicas básicas para você melhorar a concentração:

1 – Elimine o que não acrescenta
Tem que ter muita força moral para desligar o celular, deletar joguinhos eletrônicos, diminuir o acesso as redes sociais e resistir ao desejo de entrar em mais um Grupo do WhatsApp. O fato é que quanto mais simples se tornar a sua rotina mais tempo sobra para aquilo que realmente o faz crescer como indivíduo e profissionalmente.

2 – Fazer o que gosta
Poucas pessoas me procuram para melhorar o foco em atividades que gostam de fazer, ao contrário, a maioria me procura por atividades que não gostam e, obviamente, por isso não se concentram. Sempre que puder envolva-se em atividades que você realmente gosta. Se não curte totalmente uma atividade, então tente pelo manos aprenda a gostar, assim seu cérebro saberá exatamente o que fazer.

3 – Fragmente tudo. Crie um jogo
Tem coisas que a gente não gosta, mas precisa fazer. Por exemplo, você precisa escrever um TCC com dezenas de páginas. Para ser mais produtivo fragmente esta tarefa em várias pequenas etapas, como um jogo onde você vai passando de fases. Coloque uma meta de escrever tudo em 30 dias e faça uma pequena tarefa todos os dias. Quando perceber, terá o TCC pronto.

4 – Criar recompensas
Uma ótima maneira de manter o foco e realizar tarefas é criar pequenas recompensas. Depois de estudar um dia inteiro, faça uma pipoca, alugue um filme inspirador. Depois de preparar o relatório tome um delicioso café com o amigo de escritório, enfim, criando recompensas você aprende a direcionar o foco na tarefa aumentando seu poder de realização.

5 – Respiração
Concentrar-se na respiração é uma das técnicas mais efetivas para melhorar o foco e a performance nas atividades do dia a dia. Por exemplo, se você respirar lenta e profundamente e ao mesmo tempo prestar atenção no ambiente ao seu redor começará a perceber detalhes que talvez ainda não tenha percebido. (experimente isso agora mesmo) Na leitura, na prática esportiva, na musculação, na sala de aula o foco na respiração amplifica seu poder de atenção.

6 – Meditação
Os monges costumam a recitar mentalmente o manta “Ooooooo” enquanto observam a própria respiração. Isso ajuda a esvaziar e acalmar a mente, restaura o equilíbrio e deixa o território mental livre para a meditação.

7 – Domine técnicas de foco e concentração
Eu aprendi a dominar e direcionar minha atenção estudando e praticando técnicas para desenvolvimento do foco e concentração. Conhecer boas práticas é um atalho rápido e seguro para o aumento do seu poder de realização e realizar suas metas mais ambiciosas.

Quer conhecer as técnicas que eu uso?
Acesse meu site: www.renatoalves.com.br

Um forte abraço,
Renato Alves – Recordista Brasileiro de Memória
Autor do livro: O Cérebro com Foco e Disciplina


Pessoas que “pensam rápido” usam mais a memória

As vezes buscamos soluções eletrônicas para não esquecer do conhecimento que acumulamos ao longo da vida. Mas você sabe que conhecimento só é útil quando está disponível, com fácil acesso, não é verdade? E o melhor lugar para guardá-lo, nesse caso, é dentro da memória.

Conhecimento sem uso é como um navio cheio de ouro naufragado no fundo do mar. E é isso que fazemos quando gravamos o que conhecemos em memórias artificiais. Eu adorava gravar meus trabalhos de faculdade nos disquetes de 1.44 da Verbatim. Lembra deles? O dia em que eu perdi tudo e tirei ZERO na minha apresentação decidi que precisava confiar mais em minha memória.

Cai de cabeça nos livros e seminários sobre métodos de memorização. Melhorei tanto que em 2006 fui homologado pelo livro dos recordes como o Homem com a Melhor Memória do Brasil. Veja que audácia: um sujeito esquecido, melhorou tanto a memória que se tornou recordista.

Você já deve ter me visto em alguns programas de televisão como Fantástico, Mais Você da Globo ou dando entrevista para jornais e revistas de todo país. Hoje sou um preparador mnemônico e consultor de artistas, empresários, políticos, concurseiros e estudantes de sucesso. Pessoas que usaram meu método, dobraram a capacidade de foco, concentração e, melhor que isso, passaram a confiar totalmente em suas memórias.

Já deve ter ouvido falar de pessoas que pensam rápido. Adivinha de onde vem as sacadas mais inteligentes? Você não as vê consultando um arquivo no celular antes de apresentarem uma solução genial, não é? O que elas fazem na verdade é consultar o processador mais rápido, o cofre mais seguro que existe, algo que você também possui: memória!

Se você ou um de seus familiares estiverem interessados em ampliar os limites da memória em apenas 7 dias, estudando diretamente comigo, sem precisar sair de sua casa, aceite meu convite: conheça meu Treinamento Avançado de Estudo, Foco e Memorização Método Renato Alves®.

Mas Pensa Rápido, OK!


SONO NA LEITURA? APRENDA A EVITAR

Certa vez ouvi um especialista dizer que para acabar com a insônia bastava deitar na cama, ligar o abajur, pegar a bíblia e ler alguns parágrafos… Neste cenário em poucos minutos qualquer cristão cairia no sono. Confesso que já fiz isso algumas vezes e deu certo!

Sono e leitura são bons amigos desde que Gutenberg inventou a máquina tipográfica. Quando escrevi o livro O Segredo dos Gênios tratei do tema sono na leitura entrevistando muitos estudantes que se queixavam desse problema. Para muitos deles o ato de abrir o livro desencadeava imediatamente o ato de abrir a boca. Existem algumas explicações para sentirmos sono durante a leitura e gostaria de ajudá-lo a entender as causas.

Livro não é sonífero:
Não é o livro nem a leitura que causa sonolência e sim um neurotransmissor chamado adenosina. A melhor pergunta que devemos fazer quando o sono chega é: O que está fazendo com que meu organismo acumule adenosia? Se investigar a causa descobrirá que o livro não é o vilão, mas sim as circunstancias que nos encontrarmos quando colocamos o livro nas mãos.

Postura correta para leitura:
Sentar-se numa poltrona macia, uma cadeira confortável ou deitar-se numa cama aconchegante provocará um relaxamento muscular que certamente o levará a sonolência. Solução: Leia de pé! Sim, pois ao ler de pé você imediatamente ativa o cerebelo, parte do cérebro responsável pela postura e equilíbrio, e este instintivamente cortará o sono e o deixará alerta.

Iluminação ajuda a manter o foco:
Má iluminação também pode causar sonolência. Quanto mais escuro for o ambiente de leitura mais o cérebro produzirá melatonina, outra substância que induz ao sono. Solução: Mantenha o local de leitura bem iluminado e certifique-se que a luz sobre o livro venha da esquerda para a direita, pois ao manusear o livro com a mão direita você estará fazendo sombra e escurecendo a página.

Problemas de visão:
Ler é uma atividade que exige muito dos músculos ciliares, os músculos da visão. Quando a iluminação é ruim e o texto é pequeno você sente forte fadiga visual. Vistas cansadas podem causar sonolência. Solução: Verifique a iluminação, qualidade do material e se for necessário consulte um oftalmologista que poderá indicar um bom óculos de leitura.

Horário certo para leitura:
Ler a noite, confortavelmente instalado numa cama e depois de um dia cansativo é um cenário perfeito para sentir sono. Solução: Ao invés de ler uma hora antes de dormir, vá para cama, durma, descanse e acorde uma hora mais cedo. Depois de uma ótima noite de sono seu estado de vigília e atenção será bem maior. Em último caso, se precisar ler durante a noite atente-se para a iluminação e a leitura de pé, dessa forma será mais difícil sentir sono.

Desinteresse:
Quando o assunto é monótono e desinteressante, mas você é obrigado a ficar ali sentado realizando aquela atividade, o sono é acionado imediatamente. Solução: Em meus Seminários de Memorização e Concentração gosto de dizer aos alunos que não existe conteúdo desinteressante, o que existe é aluno desinteressado. Assim, a melhor forma de resolver é respirar fundo encher-se de motivação para estudar aquela matéria e seguir em frente.

Resumo: O sono é uma resposta do organismo a eventos e circunstancias. Quando corrigimos as causas neutralizamos os sintomas. Assim, como gosto de dizer em meu livro “Não Pergunte se ele Estudou” quando for pegar um livro nas mãos verifique se está tudo de acordo com as regra do foco e da concentração.

Renato Alves é escritor e recordista brasileiro de memória.
Site www.renatoalves.com.br

1 Comentário mais...

Copyright © Memorização - Renato Alves. Todos os direitos reservados.
Tema iDream traduzido por WP Total | Movido a Wordpress